Lula cita Mercosul e diz que países precisam trabalhar em “conjunto”

Recentemente, Uruguai tem conversado diretamente com a China para fechar um acordo de livre comércio, excluindo países do Mercosul

Fonte: www.metropoles.com

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta quarta-feira (1º/3) que os países da América do Sul e da América Latina precisam trabalhar em conjunto e citou o Mercosul, bloco formado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai.

A declaração foi feita durante encontro com a Confederação Sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras das Américas (CSA), realizada no Palácio do Planalto. Participaram do evento, além de Lula, o ministro do Trabalho e do Emprego, Luiz Marinho, e o ex-presidente do Uruguai José “Pepe” Mujica, entre outros.

Recentemente, o Uruguai tem conversado diretamente com a China para fechar um acordo de livre comércio. Os outros países do bloco discordam e defendem que o acordo seja feito entre todas as nações do grupo.

“Nós vamos ter que reconstruir e fortalecer o Mercosul, nós vamos ter que tentar a voltar reconstruir a Unasul, nós vamos ter que tentar a voltar reconstruir a Celac, porque nós temos consciência de que cada país da América do Sul, cada país da América Latina, se tentar negociar individualmente, a chance dele levar vantagem é muito menor do que se a gente conseguir trabalhar de forma conjunta”, afirmou Lula.

No mesmo evento, o ex-presidente “Pepe” Mujica defendeu a união dos países das Américas. “Ninguém vai nos dar de presente a prosperidade. Isso não é algo de ser de esquerda ou de direita. É algo que diz respeito a não continuarmos a ser bobos, estúpidos, porque nós sabemos que os trabalhadores perdem parte dos seus salários porque existe a grande burguesia”, disse.

Acordo Mercosul-UE

Enquanto o Uruguai procura negociar paralelamente com a China, o Mercosul tenta fechar um acordo comercial com a União Europeia, que reúne 27 países europeus.

No mês passado, Lula disse que, “se tudo der certo”, o acordo entre os blocos deve ser fechado ainda no primeiro semestre deste ano.

“Alguma coisa tem que ser mudada. […] Nós vamos fechar esse acordo, se tudo der certo, quem sabe até o meio desse ano. Até o fim desse semestre é a nossa ideia de tentar encaminhar para que a gente tenha um acordo e comece a discutir outros assuntos, porque temos muitas coisas pela frente, e não apenas esse acordo com a União Europeia”, afirmou.

As negociações do tratado entre os blocos foram concluídas em 28 de junho de 2019, mas para que o acordo passe a funcionar de fato, deve passar por um processo de revisão e ratificação por parte dos congressos nacionais dos países do Mercosul e pelo Parlamento Europeu.

0 0 votos
Article Rating
Se inscrever
Notificar de
guest

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários